Continuação

• Escravidão Negra: 
Os negros foram introduzidos no Brasil a fim de atender às necessidades do colono branco, dos grupos mercantis e da Coroa Portuguesa.
+ Formas de Aquisição do Negro na África: 
Caça, captura e aprisionamento. 
Compra de africanos ao chefes locais (ciobas): muitas tribos africanas passaram a escravizar outras para vendê-las aos traficantes em troca de bugigangas (vidro, facões, panos, fumo, rapadura, cachaça).
+ Tráfico Negreiro: 
Navios negreiros (tumbeiros). 
Banzo. 
Marcados com ferro. 
Os negros (peças do gentio da Guiné) eram embarcados geralmente em Angola, Moçambique e Guiné e desembarcados em Recife, Salvador e Rio de Janeiro.
+ Grupos : 
Sudaneses: oriundos da Nigéria, Daomé, Costa do Ouro (Ioruba, Jejes, Fanti-ashantis) 
Bantos: divididos em dois grupos (angola-congoleses e moçambiques). 
Malês: sudaneses islamizados.
+ Resistência do Negro a Escravidão: 
Evitando a reprodução. 
Suicidando-se. 
Matando feitores e capitães-do-mato. 
fugindo. 
formando quilombos.
+ Quilombos: 
comunidades negras formadas por escravos que fugiam dos seus senhores e passavam a viver em liberdade.
 Quilombo dos Palmares:
Ò
– localizava-se no atual estado de Alagoas.
– o número de habitantes do quilombo cresceu durante a invasão holandesa em Pernambuco.
– produziam e faziam um pequeno comércio com as aldeias próximas.
– simbolizava a liberdade e, por isso, era uma atração constante para novas fugas de escravos.
– representava uma ameaça a ordem escravocrata.
– líder: Zumbi.
– em 1694, foi destruído pelo paulista Domingos Jorge Velho, contratado pelos senhores nordestinos.

 

 

 

 

7. ATIVIDADES ECONÔMICAS COMPLEMENTARES:
paralelamente ao desenvolvimento da lavoura açucareira, desenvolveu-se na colônia um setor de subsistência responsável pela produção de gêneros que vinham atender às necessidades básicas dos colonos e escravos: pecuária e cultivo do tabaco, algodão, mandioca, milho, feijão.
• a mandioca era o principal produto agrícola de subsistência para o consumo interno: elemento básico da alimentação do brasileiro.
• o fumo era o produto de exportação que servia para aquisição de escravos no mercado africano: cultivado em zonas restritas da Bahia e Alagoas.
• o algodão era usado no fabrico de tecidos de baixa qualidade destinados à confecção de roupas para os mais pobres e escravos: cultivados no Maranhão e Pernambuco.

AS INVASÕES FRANCESAS

1. MOTIVOS:

• O Tratado de Tordesilhas que dividia o novo mundo descoberto entre Portugal e Espanha e marginalizava (excluía) as outras nações européias.
• Interesses econômicos: o tráfico do pau-brasil, da pimenta nativa, do algodão nativo e produção de gêneros tropicais.

2. AS INVASÕES:

• Rio de Janeiro (1555-1567): França Antártica.
• Maranhão (1612-1615): França Equinocial.

3. A FRANÇA ANTÁRTICA:

• Objetivos: 
fundar uma colônia de exploração econômica. 
abrigar os protestante (huguenotes) que eram perseguidos pelas guerras de religião.
• Comandante: 
Nicolau Durant de Villegaignon.
• Ocupação: 
os franceses se instalaram nas ilhas de Serigipe, Paranapuã, Uruçumirim e Laje. 
aliaram-se aos índios tamoios: formação da Confederação dos Tamoios.
• Expulsão: 
a Confederação dos Tamoios foi dissolvida (1563) por Nóbrega e Anchieta que fizeram um acordo com os índios através do armistício de Iperoig (Ubatuba). 
na expulsão dos franceses, o governador Mem de Sá, contou com o auxilio de Estácio de Sá, dos índios Temininós (Araribóia) e pelos tamoios do sul. 
fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (01.03.1565): Estácio de Sá. 
os franceses são expulsos em 1567.

4. A FRANÇA EQUINOCIAL:

• Objetivo: 
fundar uma colônia de exploração econômica.
• Comandante: 
Daniel de La Touche.
• Ocupação: 
fundação da povoação de São Luis (homenagem ao rei francês Luis XIII).
• Expulsão: 
os franceses são expulsos em 1615 pelas tropas portuguesas comandadas por Jerônimo de Albuquerque e Alexandre de Moura.

5. A OCUPAÇÃO PORTUGUESA DO LITORAL ACIMA DE PERNAMBUCO:

• Quando os franceses foram expulsos do Rio de Janeiro, procuraram alojar-se no litoral acima de Pernambuco e foi da luta contra eles que iniciou o povoamento: 
 João
ÒParaíba: Filipéia de Nossa Senhora das Neves (1584)  Pessoa. 
 Natal. 
ÒRio Grande do Norte: Forte dos Reis Magos (1599)
Ceará:  Fortaleza. 
ÒForte de Nossa Senhora do Amparo (1613)
Pará: Forte do Presépio  Belém.
Ò(1616)  

AS INVASÕES HOLANDESAS

1. MOTIVOS:

• a União das Monarquias Ibéricas (1580-1640): Portugal e suas colônias  Juramento de TomarÒsubmetidos ao domínio espanhol  
• os conflitos político-militares entre a Espanha e a Holanda: devido à separação da Holanda do domínio espanhol.
• o Embargo Espanhol: proibição de quaisquer relações comerciais entre os holandeses e todas as áreas sob dominação espanhola.

2. REPERCUSSÕES DA UNIÃO DAS MONARQUIAS IBÉRICAS:

• Brasil Filipino:
reforma da política fiscal: rigidez para evitar a corrupção e os desvios. 
criação do Tribunal de Relação de Salvador: os  dinamizou a prática de justiça. 
Òcolonos podiam apelar das sentenças
a colonização se expandiu no litoral ao norte de Pernambuco, chegando até o Amazonas: expansão oficial. 
nova divisão política do Brasil (1621): criação do Estado do Maranhão (capitanias do Grão-Pará, Maranhão e Ceará). 
invasões francesas: França Equinocial no Maranhão. 
invasões holandesas.

3. OBJETIVOS:

• romper o monopólio ibérico.
• recuperar o comércio do açúcar.
• controlar os centros produtores de açúcar.
• estabelecer uma colônia de exploração econômica.

4. AS INVASÕES:

• Os Holandeses na Bahia (1624-1625): 
tentativa fracassada de conquista da Bahia (sede do Governo Geral do Estado do Brasil). 
reação luso-brasileira comandada pelo bispo D. Marcos Teixeira e por Matias de Albuquerque: guerrilhas. 
as guerrilhas impediram o avanço holandês para o interior e, por isso, os holandeses só conquistaram a cidade de Salvador. 
os holandeses são expulsos pelos colonos luso-brasileiros e pela esquadra luso-espanhola Jornada dos Vassalos.
• Os Holandeses em Pernambuco (1630-1654): 
os holandeses se refizeram dos prejuízos da invasão da Bahia saqueando navios que saiam do Brasil carregados de açúcar e aprisionando galeões espanhóis que saiam da América carregados de prata. 
invasão e conquista de Pernambuco (maior centro açucareiro do Brasil, mas pouco guarnecido militarmente). 
a resistência dos colonos, através de guerrilhas, no interior foi comandada por Matias de Albuquerque: impediram a imediata conquista holandesa de todo o Nordeste açucareiro. 
o principal centro de resistência era o Arraial de Bom Jesus. 
a “traição” de Calabar: este integrante das tropas de resistência passou para o lado holandês e indicou os focos (centros) de resistência dos colonos: os holandeses passam a ocupar áreas do litoral nordestino. 
com a queda do Arraial do Bom Jesus (1635), os holandeses começam a efetivar a conquista do Nordeste.

5. CARACTERÍSTICAS DO DOMÍNIO HOLANDÊS:

 as invasões tiveram um caráter exclusivamente mercantil: foram comandadas pela Companhia das Índias Ocidentais (WIC). 
aliança com os senhores de engenho. 
respeito às propriedades e a classe dominante colonial. 
tolerância política e religiosa. 
concessão de empréstimos aos senhores de engenho.

Anúncios

About the post

HISTÓRIA DO BRASIL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s