Pau Pequeno ou Pau Grande?

 

Desfazendo
mitos sobre o pênis

Por Duda da Bahia

Você fala sobre isso? E as mulheres o que pensam ou o que comentam
você sabe? A inda é um tabu se falar de sexo e dos órgãos tanto o masculino
quanto o feminino, é uma questão que se traz por conta de criações e de
educação como nos ensinou os nossos pais. Hoje já se falam mais e mesmo assim
ainda é um tabu.

Fonte de pesquisa: hypescience

 http://hypescience.com/desfazendo-mitos-sobre-o-penis/

Quando o assunto é pênis, o comprimento
importa mais para o homem do que para a mulher, de acordo com um novo estudo
que faz uma revisão de mais de 60 anos de pesquisa e derruba inúmeros mitos
sexuais.

Aproximadamente
90% das mulheres em realidade preferem pênis mais largos do que compridos, de
acordo com dois novos estudos incluídos na revisão. 85% das mulheres
manifestaram estar satisfeitas com o pênis de seus companheiros, comparado com
apenas 55% dos homens e seus próprios órgãos.

A
revisão, conduzida pelos Drs Kevan Wylie e Ian Eardley da Porterback Clinic e
no Royal Hallamshire Hospital na cidade de Leeds, Reino Unido, combinam
resultados de mais de 50 projetos de pesquisas internacionais em tamanho
peniano e síndrome do pênis pequeno (SPP) conduzidas desde 1942.

“A
questão de atratividade para as mulheres é complexa, mas a maior parte dos
dados sugere que o tamanho do pênis está ao mais ao final da lista de
prioridades para as elas do que questões da personalidade masculina e aparência
externa” escreveram os pesquisadores.

Entre os
resultados de 12 estudos relevantes, a revisão, que foi detalhada no British
Journal of Urology International, descobriu que o pênis ereto médio mede entre
14 e 15,7 cm e uma circunferência média de 12 a 13 cm.

Mitos penianos

As
descobertas também acabam com outros mitos sobre a genitália masculina. A idéia
de que o tamanho peniano varia de acordo com a raça, por exemplo, é falsa.

Outro
mito que se repete normalmente é de que homens mais velhos possuem pênis
menores, mas Wylie e Eardley não encontraram diferenças quando combinaram os
resultados de todos os estudos juntos.

Outra
descoberta surpreendente foi de que a síndrome do pênis pequeno (SPP), também
conhecida como “a síndrome do vestiário”, é muito mais comum em homens com
pênis de tamanho normal do que com aqueles que possuem os chamados micro pênis
(órgãos com o comprimento flácido menores do que 6,85 cm). Uma pesquisa
realizada via internet com mais de 52 mil homens heterosexuais descobriu que
12% pensavam que seus pênis eram muito pequenos, mesmo que micro pênis atinja
apenas 0,6% dos homens.

Um estudo
sugere que a SPP comumente começa na infância. 63% dos homens com o problema
disseram que suas ansiedades começaram em comparações nas primeiras idades,
comumente com um irmão mais velho ou seus pais, enquanto 37% culpou imagens
eróticas vistas durante o começo da adolescência.

Aumento de pênis

Pênis
grande é uma obsessão para muitos homens. A indústria dos acessórios para
aumentar o tamanho do pênis se aproveita dessa fragilidade masculina.

A revisão
também apóia estudos recentes que descobriram que os dispositivos para aumento
de pênis raramente cumprem suas promessas, mas podem, em alguns casos, dar um
“efeito de apoio psicológico”.

Os
autores tomam uma posição tipo: “espere para descobrir” no caso de cirurgia de
aumento peniano, que pode incluir todos os processos desde separamento parcial
dos ligamentos no pênis para que fique mais longo até injeção de gordura para
aumentar sua circunferência. Um dos procedimentos mais radicais envolve cortar
o pênis completamente e inserir um pedaço de cartilagem no mesmo antes de
suturá-lo novamente.

“Enquanto
a informação está começando a emergir sobre o sucesso de algumas técnicas
cirúrgicas, isso não é reforçado pelos dados dos pacientes sobre a satisfação
com tais procedimentos”, disse Wylie.

Os
pesquisadores apontam alguns métodos antigos e verdadeiros de aumento peniano,
mas eles não são mais confortáveis. Ascetas hindus, por exemplo, usam pesos
para aumentar o comprimento de seus pênis enquanto uma tribo brasileira
encoraja cobras venenosas a picar o órgão para ganhar um aumento no órgão que
dura seis meses.

Os
pesquisadores disseram que sua revisão tem o propósito de “prover clínicos com
um sumário dos muitos projetos de pesquisa que tem sido feitos na área de
tamanho peniano e síndrome do pênis pequeno”, para que eles possam tratar
melhor o problema.

Quando
encontram um paciente com SPP “a abordagem inicial deveria ocorrer através de
avaliações urológicas, psicosexuais, psicológicas e psiquiátricas,
possivelmente com mais de um clínico envolvido”, eles escreveram.

 

 

Anúncios

About the post

Saúde e bem-estar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s